quarta-feira, 14 de maio de 2008

Qual é mesmo sua pergunta?



Tenho procurado observar os vários movimentos eclesiásticos da atualidade. Um dos meus focos de atenção e análise são as campanhas chamadas “evangelísticas” que se tornaram prática comum em boa parte das igrejas pentecostais. Os temas são os mais criativos possíveis, e na maioria das vezes fazem alusão a algum evento do Velho Testamento como a queda das muralhas de Jericó ou a abertura do Mar Vermelho. De uma forma ou de outra, o objetivo é trabalhar com a fé do povo.
A fé sempre foi uma resposta ao longo dos anos. Há algum tempo atrás a fé era uma resposta a uma pergunta: como devemos nos relacionar com Deus? Como podemos conhecê-lo? Como é possível estabelecer algum contato com a divindade? Como posso transcender? À todas essas perguntas a resposta cristã era: pela fé. Bem, a fé continua sendo uma resposta, mas a pergunta sem dúvida mudou. O questionamento hoje respondido é: como posso ser feliz? Como posso viver de modo a conquistar meus sonhos? A resposta continua a mesma: pela fé. O que tem acontecido é que ao ouvir esse novo questionamento proveniente de uma sociedade cada vez mais hedonista, a igreja tem respondido da única forma que conhece. No entanto, vejo que o grande papel a ser desempenhado pela igreja cristã não é simplesmente oferecer a resposta, mas levar as pessoas à pergunta certa.
Não há nada de errado em querer ser feliz. Aliás, seria uma imensa contradição humana pregar a infelicidade. Todas as grandes ações e decisões são de alguma forma motivadas por esse intenso desejo de encontrar essa sensação de plenitude que aprendemos a chamar de felicidade. É em busca dela que algumas pessoas se casam, estudam, trabalham, constituem família, realizam seus empreendimentos e outras matam, roubam, se prostituem e se suicidam. Todas as ações humanas encontram sua origem nessa busca pela felicidade. Porém a felicidade conforme proposta nas Escrituras não é um bem em si mesma. É apenas e tão somente uma conseqüência de um relacionamento com Deus. A Bíblia não nos ensina a buscar a felicidade, ela nos ensina a buscar a Deus. A felicidade se apresenta como uma espécie de efeito colateral dessa relação harmoniosa entre Deus e o homem. Essa inversão, onde fazemos da conseqüência a busca principal, foi resultado do rompimento causado pelo pecado. Deixamos de ter comunhão com Deus e nos tornamos infelizes, mas ao invés de buscar a Deus, passamos a tentar reproduzir artificialmente a sensação de plenitude que somente Ele proporcionava. Foi aí que surgiram os verbos “querer” e “precisar”. Quando nos afastamos daquele que respondia em si mesmo cada uma das necessidades humanas, tivemos nossa vontade corrompida pelo pecado e o vazio existencial se instalou de forma insaciável. Portanto, cada um dos nossos desejos e necessidades, sejam eles autênticos ou ilusórios, são na verdade ecos distantes daquele clamor por Deus. Os que buscam felicidade, ainda que inconscientemente estão procurando Deus. Os que querem soluções imediatas para os seus dilemas, estão na verdade explicitando uma angústia na alma que anseia por Deus. Se oferecemos a fé como uma resposta às aspirações colaterais humanas, privamos os homens de satisfazer sua real necessidade. Se fizermos de Deus apenas uma fonte de recursos, nunca permitiremos que ele nos complete. O salmo 23, tão famoso por suas cenas idílicas como pastos verdejantes, águas de descanso, refrigério da alma, veredas de justiça, mesa preparada diante dos adversários, cabeça ungida com óleo, cálice transbordante, é muito mal interpretado quando observado sob a ótica da busca da felicidade. Davi, o salmista, não está falando das coisas, ele está falando do Pastor. Uma ovelha que tenha pasto, águas e veredas tranqüilas, se não tiver pastor, ainda é ovelha perdida. A grande ênfase não é “nada me faltará”. É “Tu estás comigo”.
Temos que compreender a fé de uma maneira mais relacional. Entendê-la não como uma espécie de cheque em branco assinado por Deus, mas como uma porta de conhecimento da pessoa de Deus. Temos que refazer a pergunta que respondemos com a fé, pois as motivações por trás das ações desviam os destinos. Temos que aprender a ler nas entrelinhas de nossos anseios para perceber que cada um deles é na verdade um anelo por relacionamento com o Pai.
Antes de oferecermos as respostas, talvez nossa abordagem deveria ser: Qual é mesmo sua pergunta?

5 comentários:

franciele disse...

Simplismente demais....
Pude sentir na pele essa semana a misericódia de Deus para comigo e realmente entender a fé como um relacionamento com o senhor, e quando temos intenção de agradar o coração de Deus tudo vai bem e tudo se resolve....Realmente, a fé não é só acreditar, é ter um relacionamento com o senhor, confiar 100% naquele que nos amou.
Pastor, que Deus possa sempre usar tua vida, li o seu texto, e fiquei meditando durante a semana, o que mais me tocou é "A grande ênfase não é “nada me faltará”. É “Tu estás comigo”." Isso é algo que já sabemos, mais é tão bom saber que em qualquer lugar, ou situação Ele é o nosso amigo verdadeiro , Ele sempre estará do nossa lado, e tudo se resolve quando a intenção é, "SER CADA VEZ MAIS PARECIDO COM CRISTO".
Deus abençõe Pastor e um otimo final de semana.

Juliane Oki Carraro disse...

Salmo 23!
Um salmo tão conhecido, o primeiro versículo a ser decorado quando criança...
Mas somente nesses dias é que descobri o seu real significado: a importância da presença do PASTOR em nossas vidas!
Quando nos voltamos para o Pastor, nossas perguntas mudam, nossas buscas mudam também.
A Sua presença passa a ser o alvo da nossa ânsia, nossa necessitade...
E a felicidade, que outrora parecia tão complicada passa a ser real e inexplicável!
E descobrimos que o que importa não são os campos belos, ou a presença de outras ovelhas queridas, mas a presença do nosso PASTOR!
Que Deus abençoe grandemente sua vida e de sua família!
Amo vocês!
Jubys

l'esprit fabuleux disse...

Adorei o texto pastor, alias acho que esse pensamento de mudar a pergunta iria mudar várias coisas no mundo, talvez um dos maiores erros do ser humano, ele teme tanto a verdadeira resposta que "esconde" a verdadeira pergunta.
Tenha um bom dia, e que Deus possa te abençoar cada dia mais pastor.

Clayton Montagnana disse...

Paz Amado.
Realmente quando buscamos respostas as nossas perguntas, soluções as nossos problemas, direções a seguir, procuramos e certamente encontramos no texto de Davi em Salmos 23, aquilo que queremos ouvir e receber em nossas vidas, mais creio Pastor que juntamente com ele não podemos nunca nos esquecer que devemos `Buscar primeiro o Reino de Deus e sua justiça pois todas as demais cisas serão acrescentadas´.
Deus abençoe.

raphael disse...

Não me canso de ler esse texto, é simplesmente demais...sem palavras para descrever é para ler e re-ler!!

Vlew Pastor por cada palavra...
Que DEUS continue o usando para nos trazer o entendimento.

Abraços

 

.